Sei
01 Aug 2013 | Sei

Entrevistas

Entrevista: Gil Miranda, Backing Vocal

Entrevista: Gil Miranda, Backing Vocal

miranda1 É com muito orgulho que nós trazemos a vocês uma entrevista exclusiva com a backing vocal infernal Gil Miranda! Ela, que já trabalhou com diversos artistas da música popular brasileira, é a caçula da equipe Nando Reis pois foi em 2012, com a saída de Micheline Cardoso, que ela passou a integrar este grande time…

Além de seus trabalhos como backing vocal, Gil esteve a frente por 10 anos do ‘Grupo Ébano’ onde, além de cantar, compôs a maioria das canções presentes no disco lançado por esta trupe em 1997 (CONHEÇA UMA COMPOSIÇÃO DE GIL).

No diálogo a seguir vocês conhecerão um pouco mais sobre ela e sua carreira, projetos paralelos e muito, muito mais! Confira abaixo…

ebanoFã Clube – Gil, agradecemos demais a atenção e o seu carinho com o fã clube Nando Reis!
Gil Miranda – É um prazer falar com vocês! Fico feliz de vê-los acompanhando a carreira de um artista tão especial e completo como o Nando, a quem chamo carinhosamente de “meu poeta”.

Fã Clube – O que te fez querer cantar? Quando você decidiu isso?
Gil Miranda – Nasci numa família extremamente ligada à música, embora não tenha nenhum músico profissional nela além de um tio que tocava violino e regia corais. Mas cresci ouvindo a música erudita/clássica que meu pai apreciava em discos e no rádio. Ainda me lembro do programa que ele ouvia diariamente chamado “Um piano ao cair da tarde”, rsrs. Nesse contexto, minha irmã mais velha, Gilce, jà ligada às atividades musicais da escola, ganhou um violão como presente de aniversário dado por nossa mãe. A partir daí, eu e ela começamos a fazer experimentações com cantos em dueto e desenvolvemos uma ligação muito apaixonada com a música. Não demorou para que eu também aprendesse alguns acordes ao violão, suficientes para o exercício e descoberta da inclinação para o canto que já despontava dentro de mim. Bem, não fui absolutamente autorizada pela família a me dedicar exclusivamente à música. Mãe professora, exigiu-me a conclusão da universidade, é claro. Assim, somente após o término da Faculdade de Letras (na Universidade Federal Fluminense, em Niterói, minha cidade situada próximo à capital Rio de Janeiro) e ingressando no serviço público como professora de Literatura no Ensino Médio é que, então, pude custear e realizar meus estudos técnicos na área da música. Posteriormente, eu e minha irmã descobrimos outras quatro cantoras, com quem fundamos o Grupo Ébano (grupo vocal que foi nossa porta de entrada para o mercado musical de shows, gravações etc).

gil limaFã Clube – Como surgiu o convite para ser backing vocal do Nando Reis? E como está sendo trabalhar com ele?
Gil Miranda – Tendo estado em turnês nacionais e internacionais com outros artistas (as mais longas com a banda “Cidade Negra” e a cantora Sandra de Sá, esta última por oito anos), conheci eventualmente o músico Felipe Cambraia em seu projeto alternativo com George Israel e Toni Garrido, no show chamado “Black Carlos”, com músicas de Roberto Carlos em uma concepção black. Cambraia, então, me convidou para fazer 2 shows do Nando Reis, cuja banda ele integrava como baixista e diretor musical. Após este maravilhoso fim de semana no Mato Grosso do Sul, já me sentia parte da família Infernal e recebi do Nando o gentil convite para integrar a banda como backing-vocal, substituindo a querida cantora Micheline Cardoso que havia optado por dedicar-se exclusivamente à sua carreira solo. Aceitei com muito prazer, já encantada e impactada pela qualidade musical e poética desse nosso querido artista. Contar com a competência e profissionalismo da cantora Hannah Lima, de quem me tornei amiga pessoal e com a mente aberta do Nando para nossas ideias tem sido uma experiência renovadora e gratificante.

Fã Clube – A atual turnê (‘Sei’) tem sido muito intensa. O que gosta de fazer no seu tempo livre?
Gil Miranda – Estamos cruzando o Brasil a turnê “Sei” e o retorno para casa após os shows é marcado pela acolhida da família, o carinho do meu companheiro José Roberto, a retomada das atenções com minha mãe de 80 anos e o alimento da alma (ouvindo música, lendo livros, vendo bons filmes) e do corpo (atividade física, alimentação, reposição e vitaminas, um bom vinho etc) rsrs…

Fã Clube – Por 10 anos você esteve a frente do ‘Grupo Ébano’. As músicas deste trabalho nos remeteram bastante as do início do ‘Clube da Esquina’… Qual foi o conceito deste projeto? Por que ele não está ativo, já que é muito bom?
Gil Miranda – No Grupo Ébano, reuníamos nossas referências musicais diversas num saudável resgate do que a música brasileira revelou em gerações anteriores à nossa. Com éramos 6 mulheres negras cantando, um tempero soul nos arranjos vocais se unia com ritmos brasileiros, produzindo um resultado interessante e novo para a época. Gravamos o CD sob a produção do pianista Fernando Merlino e cumprimos a agenda referente ao lançamento e divulgação. Fato comum em grupos e bandas extintas, cada uma de nós seguiu caminhos próprios, inviabilizando a atividade conjunta, sem entretanto enfraquecer o projeto pessoal de cada uma. Ademais, discos são como livros: a obra transcende ao autor. Que bom que vocês ouviram e gostaram!

Fã Clube – Este grupo lançou um disco em 1997 onde você assina a maioria das canções. Para fazer esta entrevista, ouvimos ele e constatamos que você é uma excelente compositora! Ainda compõe?
Gil Miranda – Estando dentro de um projeto, as energias se canalizam para o que se está produzindo naquele momento. O canto em conjunto me inspirava a compor mais e mais para ver os arranjos vocais para essas canções. Após o fim do grupo continuei compondo, embora músicas gravadas por outras pessoas.

gmFã Clube – Tendo trabalhado com grandes artistas da MPB… Existe algum em que você mais se inspira?
Gil Miranda – Para cantar, minha principal referência é o R&B (rhythm and blues, a música negra norte-americana). Tenho muito orgulho dos brasileiros Tom Jobim, Ivan Lins, Gilberto Gil, Milton Nascimento e guardo uma paixão secreta por Toninho Horta. Da minha geração, adoro Lenine e Nando Reis (meu orgulho, que letrista maravilhoso,que habilidade com as palavras, que musicalidade original!). Em podcast e buscas na internet, sou fã incondicional de Steve Wonder, Chaka Kham e Take 6 (impressionante grupo vocal de jazz, blues e gospel).

Fã Clube – Quais são os seus planos para o futuro? Paralelamente ao ‘Os Infernais’ você tem a pretensão de lançar algum projeto solo?
Gil Miranda – Paralelamente aos Infernais, participo de gravações de vocais em discos de outros artistas (novos e veteranos) e futuramente desejo retomar meu projeto/show com minha irmã Gilce, que estreamos há quatro anos atrás e que se chama “Black Vocal”.

Fã Clube – Nando Reis tem diversas canções marcantes. Poderia assinalar uma que seja a sua favorita, no momento?
Gil Miranda – Nando Reis é um compositor que apresenta, em cada uma de suas composições, conteúdos emocionalmente contundentes, em sua maioria fruto de suas experiências pessoais. Considero absolutamente plena a carga metafórica e poética da música “Pré-sal”, quase uma visão cinematográfica de sua infância. Tenho um carinho pessoal pela música “All Star”, pois quando conheci meu amor José Roberto, eu morava no 12º andar e brincávamos com a letra da música, o que o levou a me presentear com um par desse tênis que guardo até hoje como uma joia rara, rsrs

hannah nando gilFã Clube – Em nossas redes sociais a gente lê muito o comentário “Queria cantar com o Nando!”. Que conselho você daria para as pessoas que sonham em trabalhar profissionalmente de ‘backing vocal’, assim como você?
Gil Miranda – Quem deseja trabalhar com música tem que investir em estudos técnicos. Estudar teoria musical, técnica vocal e, se possível, tocar um instrumento harmônico (violão, piano…) para conhecer harmonia (acordes que acompanham a melodia da música). Isso fará toda a diferença. Além disso, encontre formas de exercer a sua arte, mostrá-la, exercitá-la. E ouça BOA música!!! Seus ouvidos agradecem! A carreira profissional se desenhará a partir dessas suas experiências pessoais com a música.

12th julho, 2015

5 Commentários

5 Comentários

  1. Joelson de souza escreveu:

    Gil Miranda. Boa noite preciso de uma informação. Sua vc e namorada do professor, jose roberto de Souza aguiar

  2. Glauco Moraes escreveu:

    Quero deixar aqui o registro do aluno de português da Prof. Gil Miranda. Acredito que foram em torno de 3 anos num Colégio Albert Sabin em Niterói. Muito feliz pela tua realização… Um forte abraço!

  3. Flavia Moreira escreveu:

    Muito legal a entrevista com Gil Miranda, ela abrilhanta os palcos dos Infernais com seu talento e simpatia.

  4. Marcos Paulo escreveu:

    Discreta e igualmente talentosa. Sucesso!

  5. Viviane Novaes escreveu:

    As bakings do Nando são estilosas e fazem toda a diferença no show!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *