Sei
01 Aug 2013 | Sei

Fã Clube Nando Reis

Nando Reis conquista a capital portuguesa

Nando Reis conquista a capital portuguesa

disa

Nando Reis conquista a capital portuguesa. Tarefa difícil: uma primeira vez a uma quinta-feira, com Shawn Mendes a lotar uma sala ao lado… Mas o ruivo não se deu mal não.

Começou com ‘Lamento Realengo’ e depressa chegou a ‘As Coisas Tão Mais Lindas’, a minha música de eleição do repertório do brasileiro. Aí, o meu pensamento saiu do Coliseu dos Recreios para me lembrar de como conheci Nando Reis. Meu amigo Zé Pedro foi ao Brasil com a sua banda, Xutos & Pontapés, tocar ao palco Sunset do Rock in Rio com os Titãs em 2011. Desconhecia a banda e pesquisei sobre ela. Daí até chegar ao Nando Reis e ao Fã Clube ‘Zero Muito’ foi um pequeno passo. Coincidências da vida: Nando estava a pisar o palco que Zé Pedro pisou pela última vez. Debilitadíssimo, ele tocou com os Xutos & Pontapés a 4 de Novembro de 2017, falecendo dias depois.

‘De Tanto Amor’ e ‘Amada Amante’ foram ouvidas pelo público com muita atenção, sendo que o músico brasileiro explicou pouco depois que elas estariam no disco que iria lançar com versões de Roberto Carlos, “Não sou nenhum Roberto mas às vezes chego perto”. ‘Os Cegos do Castelo’ foi a primeira música entoada pelas cerca de 3 mil pessoas que estavam na sala. Para se ter uma noção mais clara, o Coliseu dos Recreios tem capacidade para 3 mil e 500 pessoas. Nada mau, hein?!

A música da noite foi “Rock n’Roll”. Não, não foi cantada em coro orquestral mas mexeu com cada um dos presentes, sendo que no final da música, toda a plateia aplaudiu o ruivo de pé. A noite estava a ser agradável para ambas as partes e Nando acrescentou ‘Espatódea’ ao alinhamento inicialmente previsto. Depois de ‘O Segundo Sol’, o músico ausentou-se do palco, mas não tardou a regressar.

Todo o mundo cantou ‘Por onde andei’ e Nando, não querendo despedir-se ali, acrescentou ‘Do Seu Lado’ ao espectáculo. Assim terminou duas horas de espectáculo electrizante, embora no palco apenas tivesse um artista de 56 anos cantando e tocando o seu instrumento favorito: o violão.

No final, uma imensa fila para autógrafos e fotos com ele, o que leva à conclusão de que foi uma boa primeira vez e que esta terá de ser o mote para uma segunda vez. Afinal de contas, 28 de Março de 2019 é uma data que muitos dos presentes não esquecerão tão cedo.

Texto: Diogo Santos
Fotografia do post: Luschadek

11th abril, 2019

Sem comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *