Sei
01 Aug 2013 | Sei

Fã Clube Nando Reis

Voz e violão: ‘Rock’N’Roll’, música inédita!

Voz e violão: ‘Rock’N’Roll’, música inédita!

Saiu, galera! Nando Reis divulgou em todas as plataformas digitais, acompanhado de um lyric vídeo, seu mais novo single: ‘Rock’N’Roll’.

Apesar de lançada oficialmente hoje, dia 25/09/2018, a canção já é conhecida pelos fãs que assistiram a nova turnê ‘voz e violão’ que o cantor iniciou em fevereiro deste ano. E foi no primeiro show neste formato, dia 03/02/18, na cidade de Serra Negra/SP, que Nando a apresentou ao público, cantando ainda na mesma noite outra inédita, de nome ‘Só o Amor’. E desta apresentação pra cá o ruivo a cantou em todos os shows ‘voz e violão’ que fez pelo Brasil.

Com uma poderosa letra de quase nove minutos, boa dose de protesto, contundente e mais do que atual, “Rock’N’Roll” surpreendeu o público por onde o poeta passou, que em toda apresentação foi ovacionado, recebendo uma salva de palmas de toda a plateia em pé!

Mas como surgiu ‘Rock’N’Roll’? Ela foi composta por Nando no final de 2017 para Gal Costa, sua amiga e parceira do ‘Trinca de Ases’. O ponto de partida para a criação desta música foi a partir de um diálogo que o ruivo teve com a cantora na montagem do repertório da ‘Trinca’, onde ele, grande conhecedor da obra de Gil & Gal, sugeriu canções mais calmas para ela, que na hora falou: “Eu sou ‘Rock’N’Roll’, você me faz cantar baladas, as pessoas vão dormir”. E essa conversa ficou na cabeça de Nando, que mais tarde escreveu esta música.

Outro mote de “Rock‘n’Roll” surgiu em uma noite de domingo, a partir de um diálogo de Nando com o psicanalista Luiz Tenório Oliveira Lima. O amigo comentava do baixo astral que o momento sombrio do país tem imposto sobre as pessoas, individual e coletivamente. Tenório tinha passado aquela manhã imerso em seus livros de filosofia, à procura de alento.

“Pelo menos eu ainda tenho meus gregos. E você, o seu rock‘n’roll”, concluiu. O roteiro começava a nascer ali: “Uns creem no Gênesis, outros na Teoria da Evolução/ Buscando sossego, ele lê os gregos, Hesíodo e Platão/ Mas eu ainda tenho o meu rock‘n’roll”.

No dia 22 de março de 2018 Nando Reis fez dois shows ‘voz e violão’ em Londres, onde cantou ‘Rock’N’Roll’. Na ocasião o poeta comentou sobre ela, dizendo que não é muito de falar sobre estes assuntos e que fala mais de amor, mas que esta canção de fala sobre amor, porque trata de tudo que está acontecendo, já que o mundo precisa de amor e as pessoas precisam amar. Falou ainda que o amor não se limita a casal, relacionamentos… Ele é universal, entre pessoas, respeito, ser humano… Terminou dizendo que o amor é maior e bem mais complexo (O nome de Marielle, vereadora do RJ covardemente assassinada, foi gritado diversas vezes durante esta fala de Nando). Quem trouxe este relato para nós foi Juliana Araújo, super fã de Nando, que assistiu aos dois shows.

Bom, agora chegou a hora de você ouvir a música. Veja abaixo!


Assista ao lyric vídeo de ‘Rock’N’Roll’:

..

Leia a letra completa de “Rock’N’Roll”:

‘Rock’N’Roll’

Em algum momento
Virou o tempo
Um deslizamento
Derramou cimento
Entre a loucura e a razão
E já não há silêncio
Tudo é barulhento
Muito movimento
Pouco pensamento
Sobra opinião

Tudo similiares
Carregam nas mãos
Seus celulares
Rostos singulares
Se tornam vulgares
Em meio a multidão
E eu ainda canto o meu Rock’N’Roll (2x)

Detritos nos mares, nos rios, nos lagos
Todos infestados com enxofre, chumbo e ácido
O imundo licor preto
Garrafas pet, cápsulas de nespresso
Como espectros
Durante séculos
Vagarão boiando nos oceanos
Seus esqueletos
Não há nenhum ninho
Na grande ilha de lixo do pacífico
Como um urso polar flutuando no bloco de gelo
A beira da extinção
E eu ainda canto o meu Rock’N’Roll (2x)

Conservadores e liberais
Usam as redes sociais
Para divulgar os seus boçais
Ideais medievais
Como se fossem
Os 10 novos mandamentos
Em presídios super lotados
Homens trancafiados, sendo decapitados
Seus corações arrancados
Já não causam mais nenhum estranhamento
Perdeu seu emprego quando revelaram o seu segredo
Morrendo de medo, foi cruxificado com desprezo
Como um traidor
Mas ele ainda tem o seu Rock’N’Roll
Ele ainda canta o seu Rock’N’Roll

Pastores e censores, delatores, promotores
Senadores, corruptores
Grandes trocas de favores
Na maior hiprocrisia e desfaçatez
Das transações tenebrosas
Nas obras portentosas
Roubam somas vultosas
Bocas gananciosas
Esperando cada uma a sua vez
É crime o aborto, mas não é o roubo de um bilhão
Por um pacote de biscoito
Ele passou mais de 20 anos na prisão
Mas ele ainda tem o seu Rock’N’Roll
Ele ainda tem o seu Rock’N’Roll

Todos de vermelho comungam de joelho
São fartos em conceitos
Mas não olham pro espelho
Evitando constrangimento da própria contradição
Vaca amarela guardou a panela
E a camisa amarela saiu da janela
Onde foi parar aquela balela da fúria e da indignação?
Não tenho as certezas
Dos hinos que grita a multidão
Mas finco a bandeira do Arco-Iris
Viva a liberdade de expressão
Sertanejo, gospel, hiphop, choro, samba, funk e pagode
Rap e Rock’N’Roll

A polícia dos costumes chafurdada no estrume
Manipula seu cardume e acendendo o vagalume
Aumentando o volume da sirene odiosa da repressão
Uma mão na bíblia, outra no coldre
Repetindo seu slogan
Dente por dente, olho por olho
Bandido bom, bandido morto
Parece um contrassenso
O argumento que armamento é proteção.
Tudo é trangênico nos alimentos que comemos
Mas negros, travestis e transgêneros
São assassinados, humilhados e tratados
Com discriminação
E é com eles eu canto o meu Rock’N’Roll (2x)

Toda nudez é inocente
Até que a mente indescente
Desse gente doente
De língua maledicente
Transforme a inocência da nudez da gente
Somente em perversão
Se Deus fosse consultado
Qual seria o resultado?
Escolheria algum dos lados
Dos inimigos tresloucados
Lunáticos, fanáticos por suas crenças ou pela religião
Uns creem em genesis, outros na teoria da evolução
Buscando sossego, ele lê os gregos
Hesíodo e Platão
Mas eu ainda tenho o meu Rock’N’Roll
Eu ainda tenho o meu Rock’N’Roll

Na primavera me disse a vera
“Eu vou, não me espera”
Abriu-se uma cratera onde havia terra
Ela era a atmosfera e o meu chão
E eu sonho com ela, eu preciso dela
Sou louco por ela, a vida sem ela é
Incongruência e desolação
O mundo não é mais o mesmo em que eu nasci
Mas eu continuo curando a tristeza
Com a beleza de uma canção
Por isso ainda canto meu Rock’N’Roll
Eu ainda canto meu Rock’N’Roll
Por isso eu ainda canto meu Rock’N’Roll

FICHA TÉCNICA:
Nando Reis – voz
Pupillo – bateria
Lucas Martins – baixo
Walter Villaça – guitarra
Jack Endino – guitarra
Alex Veley – hammond e piano

Produzido por Pupillo
Gravado e mixado nos estúdios Space Blues por Alexandre Fontanetti
Engenheiro Adicional: Leandro Henrique
Masterizado por Carlos Trilha no Estúdio Órbita

25th setembro, 2018

1 Commentário

Um Comentário

  1. FABIOLA LEÃO escreveu:

    Vindo de Nando Reis só poderia ser pérola. Mais uma para meu arsenal de encantamento pela obra do poeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *