Sei
01 Aug 2013 | Sei

Fã Clube Nando Reis

PARATY-RJ – ANIVERSÁRIO DA CIDADE (28/02)

PARATY-RJ – ANIVERSÁRIO DA CIDADE (28/02)

paratyO Papa Não é Bento, Bento é o não Silêncio De Um Canto Ecoando em Paraty. Eu Curti!

Aquelas cidades nas quais o Sol brilhando faz toda a diferença. Paraty é assim. Tava sombrio, tava frio, tava chuvoso, tava melancólico. A vontade que eu tinha era ficar em baixo das cobertas vendo um filme na TV a cabo e comendo sanduíche de salame com skol, embora tenha vindo da Angra dos Reis pra ver o Nando Reis… hehe. Mas ai quando o som dos primeiros acordes invadiram o quarto pulei da cama vesti uma havaiana – porque em Paraty não se anda de sapatos sob o risco de torcer o pé no calçamentos de pedras seculares – e parti para praça.

3 gatos pingados. Movimento nenhum. Confesso que achei que desta vez naquele lugar sob o temporal se Nando Reis e Infernais reunissem 20 fãs seria um baita publico. Tava tétrico o panorama. Temi um show vazio e uma decepção. Acho que o cantor ao vislumbrar um negócio assim deve ficar tenso. Eu ficaria. Mas foi um desafio que o Nando e a banda venceram. Vou revelar o que foi …

Ahhh, Dizem que viram Nando dando bobeira pelas ruas de Paraty com seu escudeiro guarda costas amigo Marcelo… Dizem que ele estava trajando uma bermuda desfiada e um par de havaianas daquelas compradas em armazéns de cidadezinhas pequenas que custam R$9,00. Dizem… Talvez seja a lenda do astro ruivo dando mole pelos barzinhos de Paraty… Confesso que num vi.

Voltando ao show: Divertidamente ao vestirmos a capa de 5,00 que nos protegia do molhadão e encostarmos na gradinha sob o palco, o espírito de fã baixou. Foi agradável e curta a espera. Dessa vez sem dor na coluna, sem tumulto, sem calor. Aos poucos olhando pra trás o mar de lama já era um mar de gente. A chuva dá trégua e lá pelas 23 horas quando Nando e banda entram em cena tem até uma estrela no céu. E algumas estrelas no palco. O Sol vermelho emplaca “Pré Sal” mesmo parecendo confuso com o fuso – porque dizem, ele retornava de um tour na Europa no dia anterior – mesmo confuso com o fuso, revertendo ou reinventando ou mesmo esquecendo a letra da longa saga “présalesca” a banda segurou legal.

Nando meio tenso. Talvez ficar 30 dias sem tocar e encarar o publico no dia seguinte ao retorno de viagem faça diferença. Mas lá pela quarta canção já tava aquele sorriso de quem curte … Aliás, Cambraia e todos riram muito. Alex tava animadíssimo numa relação sensual com seu teclado… ahaha. Achei divertido!

Todos os sucessos clássicos ecoaram. ‘Sei” foi ovacionada. “Marvin” botou pra fuder. “Espatódea” ensaiada não veio. Como sempre o esperado sempre inesperado show do cantor. Por isso ver e rever o mesmo show nunca é rever o MESMO show.

Foi um show de bom retorno. Foi um show inebriado e etílico. Foi um show ébrio. Um show épico. Ao menos pra Paraty. Terminando com uns versinhos óbvios:

Vir a Parati para nós
Assim quisemos ver
E pudemos dar para ti
O melhor que há dentro
Porque de você veio
O que há de mais santo e bento:
O canto.

Valew Banda, valeu Cantor !

Por: Ana Duarte

4th março, 2013

7 Commentários

7 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *