Sei
01 Aug 2013 | Sei

Fã Clube Nando Reis

BELO HORIZONTE-MG – Chevrolet Hall (23/11)

BELO HORIZONTE-MG – Chevrolet Hall (23/11)

Dia de show do Nando Reis é dia de aventura. Já me acostumei à ideia. E hoje não foi diferente. Por ironia do destino, meus ídolos resolveram marcar presença no mesmo dia em Belo Horizonte.

Inicialmente, comprei o ingresso para ver Marisa Monte, sem saber que Nando também viria neste dia 23. A confusão estava armada.
Apesar das milhões de tentativas, não consegui trocar meu ingresso para ver Marisa. O jeito era correr de um show para o outro. Recebi a notícia de que só poderia entrar no Chevrolet Hall onde Nando tocaria se chegasse entre 20:30 e 21:45. Seria impossível ir aos dois shows.

Apesar do desespero inicial, na prática, a incerteza dominava. Na pior das hipóteses, apelaria para os ingressos de cambistas se não conseguisse entrar com a credencial na estreia da turnê ‘Sei’.

Fui ao show da Marisa, no Palácio das Artes. Começou às 21:15 e encerrou-se às 23h. Mais perfeito, impossível. Nada melhor que admirar as obras de Nando na voz de uma cantora tão talentosa. Enfim, fim de show, até sair do local, 23:08. Até conseguir um bendito taxi, 23:20. Até chegar ao show do Nando, umas 23:30… e eu perdendo o que já estava rolando. Aí, começou outra via crucis: encontrar a lista onde estava meu nome para poder ver a apresentação. Portaria, estacionamento, bilheteria… e consegui entrar, enfim. Nem quis olhar que horas eram para evitar o estresse.

Chegando à arena, coincidentemente, Nando cantava ‘Para quem não vem’, música gravada no novo álbum com Marisa Monte.
Outro detalhe que observei de imediato, além do calor infernal – literalmente –, foi o público. O Chevrolet Hall estava LOTADO. Assim, em maiúsculas mesmo. Nunca senti uma energia tão boa num lugar como no show desta noite. A cada música os espectadores iam ao delírio.

Confesso que pela correria, pelo atraso, não assisti o show com a concentração que Nando Reis e os Infernais merecem. Ainda assim, foi possível tirar várias impressões da apresentação: Sei já é sucesso, carro chefe do disco homônimo. Todos cantaram a plenos pulmões; em ‘Luz dos Olhos’ e ‘Do seu lado’, ficou difícil ouvir a voz do Ruivão, de tão alto que o público cantava. Outra percepção: Nando está cada vez mais divertido. Arriscou até um sambinha após ‘Relicário’.

Os Infernais dominaram também. Tem se tornado difícil dizer que o show foi de Nando Reis. A banda merece todos os méritos pela excelência do show, pela qualidade da música… Pela primeira vez vi a nova integrante da ‘patota’ Gil Miranda em ação. Talentosíssima e supersimpática. Parece que incorporou bem o espírito ‘infernal’, mas é inevitável sentir falta de Micheline Cardoso e toda a química que a backing vocal tinha com Nando.

Neste 23 de novembro, me senti privilegiada. Tenho certeza que poucas pessoas já tiveram a sorte de ver seus dois maiores ídolos da música em shows memoráveis na mesma noite. Eu vi Marisa e Nando. Lindos, talentosos e cada vez mais admirados. Sou cada vez mais fã.

Agradeço ao Chevrolet Hall BH e ao Fã Clube Nando Reis que mais uma vez me proporcionou o privilégio de representá-los em mais um show inesquecível de um dos meus ídolos.

Por: Renata Silva

26th novembro, 2012

Sem comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *